Categorias
Histórias & Fábulas

O rato e o gato

Certo dia, ao entardecer, um poeta encontrou-se com um camponês. O poeta era reservado, o camponês tímido, mas conseguiram conversar.

O camponês disse:
— Deixa-me contar-te uma breve história que ouvi há pouco.

Um rato caiu na ratoeira e, enquanto estava tranquilamente a comer o queijo que havia dentro, aproximou-se um gato. O rato estremeceu, por um instante, mas sabia que na ratoeira estava seguro.

Então o gato disse-lhe:
— Estás a comer a tua última refeição, meu caro amigo.

— Sim — respondeu o rato. Só tenho uma vida e, por conseguinte, uma só morte.

— Mas que acontece contigo? Dizem-me que tens nove vidas. Quer isso dizer que tens de morrer nove vezes?

O camponês fitou o poeta e perguntou-lhe:
— Não te parece uma história estranha?

O poeta não respondeu, mas foi pensando que temos nove vidas, nove vidas, por certo.

E morreremos nove vezes, nove vezes morreremos.

Talvez fosse melhor não ter mais que uma vida e passá-la numa ratoeira (a vida de um camponês, tendo um bocado de queijo como última refeição).

Contudo, não somos nós da linhagem dos leões da selva e do deserto?

Khalil Gibran in “O Profeta”